Fernweh

É estranho eu ter 19 anos e tudo que eu quero na vida é silêncio? Viver em uma casa com quintal pra cachorro. Não cachorro. Cachorros. Esses bichinhos são  uma das poucas coisas que me deixam feliz. E em uma casa por que eu associo apartamento a tristeza!

Fazer minha faculdade. Trabalhar. Viajar. Ficar longe da minha família, dos meus conhecidos, das minhas irmãs.

Ficar em uma cidade pequena, com direito a barzinho de esquina arrumadinho e árvores.

Talvez eu esteja criando uma realidade bem utópica. E esse pensamento trave as coisas que eu espero.

Um dos motivos que isso nunca vai acontecer: meu pai nunca deixaria eu viver sozinha, em uma casa, sem encher o saco e querer ficar junto. A mesma coisa vale pra minha mãe.

Mas e se eu tentar independência?
Tipo. Se eu fugir pra esse lugar. Arranjar um lugar em qualquer lugar do Brasil. Conseguir um empreguinho que dê pra pagar aluguel e alimentação. Passar em uma federal em qualquer curso. Psicologia. Veterinária. Medicina já está quase se tornando impossível. E com meu prazo. Sim, eu recebi um prazo. Tudo está pior.

O ano vai acabar. E com ele toda a minha perspectiva de vida.

Antes eu disse que não tinha ambições. Agora percebo que é mentira. A minha única esperança é viagens. Viajar o mundo. Eu tenho um roteiro. Em um caderno. Guardado em uma gaveta. Um roteiro da America do Sul inteira. E espero que um dia eu consiga segui-lo.

Também espero fazer isso como uma pessoa normal. Não uma fugitiva.

Eu não sei porque​ Deus me deixa passar por esse sentimento. De querer fugir. De fernweh. É muito sofrimento em um estado só. É muita dor de cabeça.

Se você que está lendo tiver alguma idéia sobre. Alguma ajuda. Por favor, comente. Me ajude. Se eu não conseguir passar esse ano. Não tenho mais planos. Não tenho mais vida.

E se você achar apenas idiotisse. Eu já falei. Eu te peço. Eu te imploro. Pare de ler.

Bjos,
         ⭐.

Comentários